• English
  • Português
    MORADIA ESTUDANTIL EM HAIA: EXPERIÊNCIA COM A DUWO E POR QUE ESCOLHI A CREATIVE LIVING IN NL

    Moradia estudantil em Haia: experiência com a DUWO e por que escolhi a Creative Living in NL

    Tempo estimado para leitura: 8min.

    Ois, gentchy.

    Já tem quase dois meses que cheguei aqui em Haia (vou usar sem o artigo – “A/Na” Haia – pois: me obriguem), então acho que já tá mais do que na hora de atualizar o blog.

    Já que a maioria de vocês tá lendo o blog porque estão vindo estudar em Haia ou estão interessados nisso (ou porque são meus migos fofos ♡), decidi separar os posts sobre a vida aqui em tópicos (no lugar de fazer estilo ~diário~?), porque sou aloka da organização fica mais fácil de achar as informações depois. Ah, tudo que eu escrever aqui = minha opinião. Não tô recebendo nada pra postar aqui (bem que eu queria, daí dava pra pagar o host de buenas).

    Eu comecei a me preocupar com a questão da moradia em Haia no minuto que recebi o email falando que eu tinha conseguido a vaga do intercâmbio pois:

    1. Eu amo me preocupar com as coisas (mentira, isso só sempre acontece)
    2. Tem trocentos mil alunos que nem eu em Haia, chegando e saindo ao longo do ano pra intercâmbios e estágios, que também tão procurando lugar pra morar
    3. Moradia na Holanda parece ser um problemão nas cidades maiores (€€€€€€)
    4. Meu orçamento:::::: bem limitado
    5. Meu visto de estudante demorou horrores pra ser processado, daí eu tive de adiar a data do vôo pra cá e eu iria chegar no dia das aulas começarem, então achei que a maioria das vagas para aluguéis de ‘curto prazo’ pro semestre já estariam ocupadas (no final, eu estava certa)
    6. DINHEIROS DINHEIROS DINHEIROS
    7. Onde eu vou ficar quando eu chegaAAaAAAaAAaAAAAaAAr + caçar lugar pra morar + aulas… Não dá pra pagar 40€/noite nos malditos hostels, não, tô pobre pra caramba
    8. Por que esses hostels são tão caros aAaAaAAAaAAaaaaAAaAAA
    9. Ah, é, trocentos alunos caçando lugar pra morar, é por isso
                    -etc

    Duwo: quartos “accommodate

    Cerca de duas semanas depois de receber o email do ‘aceite’ pro intercâmbio, as outras intercambistas e eu recebemos um email da nossa universidade anfitriã (ou seja, onde estamos estudando agora) falando que eles não ofereciam alojamento (o que a gente já sabia), mas que eles tinham uma parceria com a DUWO, uma imobiliária especializada em moradia estudantil, pela qual eles ofereciam quartos pra intercambistas. Isso foi em outubro, ou seja, quase meio ano antes do meu intercâmbio começar, lol.

    Nós fomos vasculhando as opções dos quartos “accommodate” que eles tinham e nos deparamos com opções do tipo 550-650€/mês um quarto + dividir cozinha/banheiro com 5 pessoas aleatórias, ou 530€ uma suíte com uma mini cozinha (tipo um quartinho de hotel pra 1 pessoa), etc. Tá, os prédios ficavam a 5 minutos de distância da faculdade, mas, né, à primeira vista, parecia caro demais tendo em vista o custo-benefício. Também tava caro demais à segunda vista, e à terceira, porque nós acabamos entrando em alguns grupos de moradia do Facebook pra ver a média de preço para aluguel de quarto em Haia e, sim, o preço da DUWO era/é caro. Como tínhamos de dar uma resposta até o final de novembro (cedo demais!!), e as opções que encontramos iam beeeeem além do nosso orçamento, dissemos não para o tal do accommodate e decidimos tentar em outro lugar, tipo nos grupos do Facebook. Eu tava tipo:

    Constance Wu falando "Eu preciso de mais informações."

    Eu preciso de mais informações.

    Grupos no Facebook

    Tem vááários grupos de moradia em Haia no Facebook. Eu entrei nestes daqui, ó: [[groupo 1]], [[groupo 2]], [[groupo 3]], [[groupo 4]], [[groupo 5]], [[groupo 6]], [[groupo 7]] e [[groupo 8]]. Coisas pra se ter em mente quando você estiver procurando moradia em Haia pelo Facebook:

    1. A maioria das vagas vão aparecer perto do começo/fim de um semestre, então nem adianta começar a procurar com 4 meses de antecedência (apesar de ser bom ficar de olho).
    2. MUITAS pessoas estão procurando lugar pra morar, especialmente lugares baratos-porém-decentes.
    3. Por isso, os proprietários e colegas de apartamento preferem agendar uma visita para que eles possam conhecer os interessados no quarto – afinal, você vai morar na propriedade da pessoa ou com a pessoa. É uma via de mão dupla: você quer saber se o quarto/apartamento é bom, eles querem saber se você é uma pessoa bacana.
    4. Procurar lugar pra morar sem estar presente em Haia é difícil. Pouquíssimas pessoas vão topar fazer algo por Skype, e, se tiver outra pessoa interessada no mesmo quarto que você e que foi visitar, ela provavelmente vai ter prioridade.

    Como eu tive de alterar minha data de ida, eu não consegui chegar com antes do semestre começar pra procurar um lugar pra morar com calma. Eu tinha amigas que já estavam na cidade há um tempinho e que estavam tendo dificuldades em encontrar um lugar pra morar, então, sendo mega tranquila como sou, eu comecei a me preocupar. Daí eu compartilhei minha preocupação com a mamãe. E ela começou a preocupar também, porque ela não queria que eu chegasse aqui sem ter um lugar definido pra morar. Aí, eu comecei a ficar preocupada porque não queria mamãe preocupando mas eu também não conseguia parar de me preocupar, pois, como já disse, sou mega tranquila #SQN. *Insira aqui um ciclo de preocupação eterna*

    Foi aí que eu resolvi voltar no site da DUWO e conferir a página de Ofertas Diretas deles.

    Meu pesadelo Minha experiência com a DUWO:

    Resumindo, ofertas diretas são quartos disponibilizados diretamente pela DUWO, e não por uma parceria com uma universidade. Enfim, as meninas e eu demos uma olhada nas opções, os preços eram razoáveis, no site falava que iríamos morar com mais 1 outra pessoa, então, assim, parecia okay, né? Tipo, mesmo se for uma pessoa louca/insuportável/sei lá, é só uma pessoa pra aturar, então teria equilíbrio na ~dinâmica de poder~ ou sei lá. Você entende. Cada uma de nós reservou um quarto em um apartamento diferente (de acordo com o orçamento de cada uma) antes de sairmos do Brasil, tudo estava ótimo e o mais importante: mamãe parou de se preocupar.

    Tava tudo ótimo. Até eu chegar. Meu novo lar era dividido com 4 outras pessoas, 3 caras e uma menina que nunca vi/ouvi, então basicamente 3 caras e um fantasma. Literalmente não era o que eu tinha acordado, afinal, o contrato falava 1 outro ser humano. Fui no escritório da DUWO  e eles foram mega inúteis, parecia que a moça tava fazendo um esforço extra pra ser inútil, o que vai contra todos os princípios da inutilidade. Falei pra ela do contrato, ela jogou a culpa num ERRO DO SISTEMA e disse que eu poderia tentar achar outro quarto deles nas Ofertas Diretas, mas os quartos autônomos continuavam mega caros e não tinha quarto pra dividir apê só com 1 pessoa. Eu estava tão exausta por conta de todos os problemas que eu tinha tido até então que nem quis discutir mais, só decidi fazer as coisas darem certo, tipo, “Tá, caçar lugar pra morar aqui é um pesadelo, meu quarto é decente, eu só preciso de um lugar pra tomar banho e dormir, vou tentar”.

    Não deu certo. Foi um pesadelo.

    Constance Wu suspirando

    Eu não me sentia confortável, eu não conseguia dormir por conta da barulhada constante, tentar fazer acordos sendo 1 pessoa enquanto eles eram 4 era impossível etc. Minha família tava surtando (tias, mãe, avó, avô, cachorro, primos, tudo) querendo que eu me mudasse de lá o mais rápido possível para que eles pudessem parar de se preocupar… Ah, eu já disse que eu não dormi por uma semana com a exceção do cochilos que eu tirava na escolaaAaAaAAaAAAAaAaa??? Eu tava chorando tanto que até a pele das minhas bochechas começou a descascar HAHAHA eu tô rindo agora porque o perrengue ficou lá atrás

    Voltei lá no escritório da DUWO e falei que eu queria sair de lá e o meu dinheiro de volta. Quando você assina o contrato, eles pedem 3 meses de aluguel como depósito e uma taxa administrativa de 100€ (para “elaborar o contrato”). Eu resolvi ser razoável e falei que não queria TODO o dinheiro de volta, que pagaria pela semana que morei naquele buraco, mas que queria o dinheiro da taxa administrativa porque o contrato não tinha sido cumprido (“erro do sistema”, AHAM, TÁ, agora eles botaram um disclaimer no site falando que ele tá errado lolol) + o resto do 1º mês + os dois outros meses. A moça falou não.

    Constance Wu perguntando "Quê"?

    Quê?

    Eu insisti.

    A moça: “Eu posso cancelar o seu contrato por conta do erro do sistema, mas nós só cancelamos contratos a partir do dia 15 de cada mês, então você tem de pagar a primeira metade do mês. Também não reembolsamos a taxa porque ela é “administrativa”, mas vamos te devolver o resto do dinheiro do aluguel.”

    Constance Wu falando "Ah... Você é engraçada." de forma irônica.

    Ah… Você é engraçada.

    Minha família:

    SOFIA, sai daí o mais rápido possível, deixa o dinheiro pra lá!

    Minha carteira:

    SOFIA, é taaaaaaaanto dinheiro, não dá pra deixar pra lá.

    Minha exaustão:

    Sofia, deixa pra lá porque você tá esgotada.

    Resolvi deixar pra lá.

    Eu tinha passado minhas noites insones fuçando os grupos do Facebook procurando outro quarto e tive a sorte de achar um da Creative Living in NL que estava disponível. Fui lá ver o quarto, amei, adorei os proprietários, assinei o novo contrato no mesmo dia.

    RESUMÃO: Cheguei no meu quarto da DUWO no dia 1º de fevereiro e saí de lá no dia 6. E “perdi” uns 350€ no processo. Experiência maravilhosa!

    Constance Wu fazendo OK com as mãos

    Creative Living in NL

    Creative Living in NL é uma agência imobiliária do Thomas e da Fang, que são os melhores proprietários do mundo ♡.

    O apartamento para onde eu me mudei tinha acabado de ser reformado, então tudo estava limpinho e novinho. Eles são mega transparentes e sérios com o negócio deles – tive de pagar um depósito um pouco mais caro, mas eu sei que eles pedem o valor porque a grana será usada para cobrir os gastos de reparo caso eu destrua qualquer coisa (eles tiraram fotos e tudo). Como eu sou uma ótima inquilina, nada será destruído, então vou receber o depósito de volta quando eu me mudar daqui. Além disso, apesar do aluguel ser um tiquinho mais caro do que eu estava pagando (ou estaria pagando) na DUWO, quando meu contrato terminar, eles vão dar uma olhada nos medidores de gás/água/eletricidade e devolver o dinheiro caso o uso tenha sido menor do que o previsto por eles (o valor de tudo já tá embutido no aluguel).

    Não consigo descrever em palavras quão grata minhas colegas de apartamento e eu somos a eles, eles sempre estão ajudando a gente com tudo. Nosso aquecedor parou de funcionar uma vez e o Thomas chamou um cara pra consertar que veio quase que na mesma hora. Ah, e o Thomas, que é advogado também, até ofereceu pra dar uma olhada na minha situação com a DUWO. *Insira eternos elogios e agradecimentos aqui*

    Eles são donos de várias propriedades perto da THUAS (onde eu tô estudando), então se você estiver procurando algo na área, eu super recomendo entrar em contato com eles antes de tentar a DUWO e os grupos do facebook. Eles são maravilhosos.

    Vovozinha asiática aplaudindo.

    Experiência de outros estudantes com a DUWO

    A DUWO é basicamente dona do mercado de moradia estudantil aqui, então resolvi conversar com outros alunos sobre as experiências deles morando em apartamentos da DUWO, pro post não ficar muito enviesado pela minha experiência, hehe.

    As opinões em comum, tanto de intercambistas, quanto de estudantes regulares, foram:

    The common opinions, from both exchange and regular students, were:

    1. Caro demais pro que é oferecido
    2. Todo mundo foi morar com a DUWO porque a universidade recomendou e porque os pais/familiares ficaram mais calmos sabendo que eles tinham um lugar pra morar ao chegar
    3. A DUWO é péssima com atendimento ao cliente, eles não tão nem aí porque praticamente dominam o mercado

    Os estudantes internacionais regulares (quem tá fazendo todo o curso aqui) me falaram que geralmente eles moram com a DUWO no primeiro semestre/ano, porque ainda não conhecem a cidade e tal, e depois arrumam outro lugar com melhor custo-benefício.

    Uma outra intercambista do Brasil teve o mesmo problema que eu tive (contrato dizia 1 pessoa, apareceram 4), mas ela foi no escritório da DUWO com os pais dela reclamar e eles encontraram um quarto pra ela num apartamento com apenas 1 outro humano, mas ela acabou tendo de pagar a diferença no aluguel (o que eu acho injusto, porque, né, mas enfim).

    De forma genérica, é okay se você for ficar por 6 meses e puder pagar um estúdio em algum dos prédios perto da universidade. Demais comentários foram: os móveis são velhos, tudo da IKEA; os ralos entopem constantemente; alguns quartos têm microondas, outros não; alguns têm freezer, outros não; torneiras começam a funcionar do nada no meio da noite; aquecedores pode não funcionar; talvez tenha fungo nas suas paredes; problemas técnicos são resolvidos por uma empresa terceirizada, então pode demorar até que eles sejam resolvidos… Acho que fim. ?? haha

    Enfim

    O post ficou um pouquinho maior do que eu esperava, mas acho que abordei as questões mais relevantes ?? Você já teve alguma experiência traumática ao procurar lugar pra morar? Hehe

    Se você tiver algum outro comentário ou dúvida sobre moradia em Haia, pode comentar aqui ou mandar um tweet pra @sofiachangx que eu respondo. Ah, o próximo post vai ser sobre a faculdade, então deixem as dúvidas aqui pra eu já responder no post! 🙂

    xoxo

    Ps. Os gifs são do seriado Fresh Off the Boat. Eu ♡ a Constance Wu.

    São Paulo: bolhas, “Passageiros”, amigos e comida

    Tempo estimado para leitura: 4min.

    Em janeiro, fui passar uma semana em São Paulo.  Tive que ir resolver um trem do visto pra Holanda, então decidi ficar por uns dias e encontrar com alguns amigos. Aviso: me perdoem, eu não tirei nenhuma foto durante todo o meu tempo em SP. Pior blogayra do mundo, sim ou claro?

    Bolhas

    São Paulo é tão diferente de Belo Horizonte (onde eu moro). O pessoal daqui chama BH de “roça grande”, porque é uma cidade com todos os problemas de ~cidade grande~, porém, ao mesmo tempo, é um lugar minúsculo onde todo mundo se conhece e nada nunca muda. Ah, e você ou ‘tá sempre subindo ou ‘tá descendo um morro, então é uó do borogodó pra andar/pedalar. São Paulo é mais plana, é maior, é amor.

    Eu andei tantomas tanto em São Paulo que acabei ficando com os pés cheios de bolhas. Acho que ambos os All Stars que eu levei estavam velhos demais e começaram a se desintegrar por dentro, destruindo meus pezinhos no processo. Eu reservei um quarto no Airbnb (este aqui), que fica a 3 quadras da Avenida Paulista (perto do Masp!), então eu estava perto de tudo que amo – mil prédios, avenidas cheias de pessoas mega ocupadas e apressadas, estações de metrô, restaurantes e até mesmo um parque e um museu.

    Na terça, eu andei pela Avenida Brigadeiro Faria Lima, já que o Consulado dos Países Baixo ficava por ali. MUITO AMOR POR PRÉDIOS ALTOS E PAREDES GRAFITADAS MARAVILHOSAS. ‘Tava um calor do caramba, então acabei indo pro shopping Eldorado, gigantesco. Viva o ar-condicionado de shoppings!! Hehe. Como eu não tinha dormido nada (fui no ônibus noturno), resolvi ir no cinema e descansar um pouco – acabei vendo Passageiros, aquele filme com o Chris Pratt e a Jennifer Lawrence.

    Passageiros

    Antes de eu começar a falar sobre o filme, tó o trailer aqui, pra você ter uma noção do enredo:

    Alerta de spoiler! 

    Jim (Chris Pratt) acorda em sua cabine de hibernação devido a um problema técnico. Ele está sozinho e acordado numa nave espacial até se deparar com a cabine de hibernação da Aurora (J.Lawrence). Ele acha que ela é a pessoa mais bonita do mundo, se apaixona por ela, começa a ler todas as informações sobre a Aurora que ele conseguiu achar e aí resolve acordar a Aurora. 90 anos antes do programado. Só porque ele não queria ficar sozinho.  Ele a acorda para passarem os próximos 90 anos naquela nave especial juntinhos, aw. ISSO É MUITO DOENTIO. O pior é que ele nem fala pra ela que ele quem a acordou – ela achava que foi falha técnica também. Daí, quando Aurora finalmente descobre a verdade, ela acusa Jim de assassinato – afinal, ele a acordou 90 anos antes só porque quis. Ela estava presa numa nave especial com um cara que destruiu a vida dela e ele não dava 2 segundos de sossego pra ela. Quando Aurora tenta se afastar, Jim começa a falar pelos autos-falantes da nave, sempre na cabeça dela, onde quer que ela estivesse. TÃO DOENTIO. Para piorar, Aurora se apaixona por Jim depois de uns acontecimentos aleatórios e eles vivem felizes para sempre. PORQUEMEUDEUSO

    Sabe o que é pior? A Jennifer Lawrence não é feminista? Considerando tudo que ela fala/faz na mídia (exemplo). Maaaaas ela acaba de estrelar um filme que romantiza um relacionamento bem doentio e abusivo. Pra quê, mds, fui gastar R$18.50 pra ver o filme, quando minha melhor amiga falou para NÃO ver?? Ugh.

    Amigos & comida

    O motivo que me levou a ficar mais uns dias em São Paulo foi o desejo de rever meus migos. Assim, na quarta fui jantar com dois amigos que conheci em Taiwan, durante um programa de estudos para jovens expatriados. Nós conversamos até e nem parecia que a última vez que estávamos juntos tinha sido em Janeiro de 2014 em Taipei. Ah, a gente foi comer num lugar chamado Athenas. Eu pedi um filé à parmegiana e, deusdocéu, veio comida demais. Aliás, todas os pratos de lá são gigantes, e o preço foi bem razoável. Recomendo!

    Na quinta, fui almoçar com um migo no Bar Bela Santos e, mddc, que pesadelo. Pedi uma picanha bem passada, recebi um pedaço de carvão que, ao ser partido, começou a jorrar sangue – como que devolve pedindo pro cozinheiro ‘passar mais’??? Aí, quando fui comentar com o garçom, do nada brota uma barata do lado do meu prato, bem na mesa. Hehe. Falei com o garçom, e, no lugar de pedir desculpa, ou qualquer coisa do tipo, ele começa a inventar justificativas para a barata estar lá, junto com a barata que o meu migo viu andando pela parede do restaurante, e depois a falar da carne ??? Sai, moço, só quero que você agradeça o feedback e fale ‘não vai acontecer de novo’, nem quero o dinheiro de volta, calma, cara.

    De noite, encontrei com a Audrey, outra miga de Taiwan. Fomos num restaurante de lamen no Liberdade, o tal do Aska. Tinha uma fila gigaaaaaaante pra entrar lá, mas tínhamos chegado mais cedo, então nem esperamos muito tempo. O lamen tava bem bom, mas a melhor parte foi botar o papo em dia com a Audrey, uma das pessoas mais legais, criativas e talentosas que conheço. Falando na Audrey, ela faz quadrinhos online, aqui, ó.

    No final da tarde de sexta, encontrei com a Maki. AMIGUINHAS DE TWITTER ABRAÇANDO NO MUNDO REAL!!1!1!!! A Maki consegue ser ainda mais fofa, doce, carinhosa e impressionante em pessoa. SEM FALAR QUE ELA TEM O MELHOR ABRAÇO DO MUNDO. Fomos no Isso é Café, um café meio escondido no Mirante 9 de Julho, que tem um ambiente urbano/hipster super gostosinho ♥. Eu tava achando que tinha sonhado que tinha encontrado com ela, porém essas selfies provam o contrário:

    sofia chang maki desancorando selfies sao paulo coffee

    Maki e eu falamos sobre planos para 2017. Coréia, Itália, viagens. Falamos de amor, aceitação, amor-próprio, estereótipos, trabalho, internet, amigos. Ela é uma inspiração em se tratando de ‘que tipo de pessoa quero ser’. Ah, ela também me apresentou a Gabs, uma Youtuber (com altos skillz pra editar vídeos!), outra pessoa mega inspiradora e amorosa ♥

    Este foi o começo perfeito para 2017.

    Uma semana que começou com tudo dando errado, mas saber que eu tenho tantas pessoas sensacionais por perto (não literalmente, né, haha) faz com que eu me sinta a pessoa mais sortuda e grata do mundo. Obrigada, gente, pela semana incrível. Amo vocês ♥.

    Agora… Hora de conversar!

    • Você já foi para SP? Gostou? Tem vontade de ir?
    • Assistiu “Passageiros”? PRFVR não me diga que você também fez essa burrada hahaha
    • Você tem alguma miga/algum migo virtual que é bem próxim@ de você? Vocês já se conheceram na vida real?

    Como 2017 está sendo para você? Espero que esteja tudo bem.

     -x

    Resoluções para o ano novo & uma análise geral de 2016

    Tempo estimado para leitura: 5 min.

    Antes de tudo – sou só eu ou 2016 foi um ano bem esquisito?

    Em janeiro do ano passado, eu decidi não definir nenhuma resolução para o ano novo. Eu pensei, “Bom, pra quê arrumar novos planos só porque é um ano novo? Posso definir resoluções e objetivos na hora que eu quiser.” – Na época, eu estava me sentindo bem, sabia onde eu estava, o que eu queria, etc.

    Consequentemente, agora que eu paro para pensar sobre 2016 (dando tchau com a maior alegria), cheguei à conclusão de que tudo que fiz foi sobreviver, e eu me sinto inútil, improdutiva e envergonhada de ter tantos privilégios e não ter feito nada pelo mundo. Aquele sentimento bom de janeiro do ano passado durou até… Bom, o final de janeiro, então tudo depois foi de mal a pior. Mentalmente, fisicamente, financeiramente, academicamente (não em termos de notas, mas em termos de manter a sanidade mental na faculdade).

    Como eu não tinha feito nenhuma resolução para 2016, no meio de tanta loucura de um ano tão ruim, eu acabei me perdendo. Eu não tinha a menor ideia do; que eu estava fazendo, nem o motivo de fazer qualquer coisa. O pensamento mais constante na minha mente era “Eu só quero chegar até o final do ano”. O sentimento mais constante que eu tinha era “Talvez eu não seja boa o suficiente pra nada”. Foi horrível, mas já estamos em um ano novo e eu quero pelo menos tentar deixar tudo isso para trás. Eis o que eu aprendi em 2016, além de ter melhorado minhas habilidades de fazer piadas auto-depreciativas:

    Quote from Vicky Cristina Barcelona, saying "I want something different. I don't know, not this..."

    “Eu quero algo diferente. Eu não sei, não isso…” – Fonte: Vicky Cristina Barcelona (2008).

    Apesar de eu não culpar o ano horrível na falta de resoluções, eu penso que é bom escrever num pedaço de papel gigante (ou num post de blog, ou em ambos) os meus objetivos para este ano, porque, né, e se eu acabar me perdendo de novo? Pelo menos eu terei algo pra me dar alguma direção, algo que eu decidi fazer quando eu não estava perdida. Tendo escrito dito isso, vamos à parte interessante deste post super egocêntrico:

    Resoluções para o ano novo, também conhecido como 2017

    Okay, então tchô escrever aqui todas as coisas que eu quero fazer, aprender, criar, conquistar, blábláblá, em 2017, e compartilhá-las com vocês:

    Quote from Vicky Cristina Barcelona saying "I don't know what I want. I only know what I don't want."

    “Eu não sei o que eu quero. Eu só sei o que eu não quero.” – Fonte: Vicky Cristina Barcelona (2008)

    Oiê. Eu ainda tô perdida, hehe. Como que faz resoluções para o ano novo mesmo? Quer me ajudar? Talvez seja melhor começar minha lista levando em consideração:

    1. o fato de eu estar me mudando pra Holanda no final do mês
    2. minha situação financeira
    3. EU NÃO QUERO ME SENTIR TÃO ORDINÁRIA E INÚTIL
    4. minha saúde (mental e física)
    5. este troço escrito na capa da minha agenda de 2017
    sofia-chang-diga-sim-para-novas-aventuras-resoluçoes-2017

    Diga sim para novas aventuras!

    Esses pontos de partida estão bons, né? Bom, vamos à lista agora…

    1. Aprender holandês básico – Eu adoro idiomas, mas nunca tive vontade de aprender Holandês. Acho que não dá mais pra ignorar o fato de que TÔ MUDANDO PRA HOLANDA, MANHÊ. Comprei um livrinho de holandês outro dia e parece que é bem similar ao Alemão, então #oremos, acho que dou conta.
    2. Explorar. Eu amo andar por cidades e tirar fotos, mas eu sempre morri de medo de fazer muito disso na minha cidade no Brasil, por conta da violência e tal. Claro que explorar trocentos países europeus durante meu intercâmbio seria bom, né, mas só de explorar umas 2 ou 3 cidades eu já ficaria feliz. (Eu deveria sonhar mais alto???)
    3. Criar mais coisas. Este blog ‘tá pronto desde maio do ano passado e eu nunca priorizei a existência dele porque no meu tempo livre eu só queria dormir. Eu amo escrever e tirar fotos, então quero fazer mais disso. Ah, minha amiga Maki e eu também estávamos falando sobre fazer um podcast… Oi, Maki, você ainda quer fazer isso? 
    4. Gastar menos tempo no Netflix. Meu sentimento de tô perdida/não-me-encontro-nem-me-encaixo/não tenho habilidades-excepcionais-pra-nada resultava na minha pessoinha abrindo um seriado aleatório na Netflix, assistindo o trem todo de uma vez e fazendo de conta que tava tudo bem. Mesmo com seriados horríveis.
    5. Ser menos covarde. De vez em quando eu começo achar que algum escrito/pensamento/etc meu vale a pena ser lido/compartilhado. Isso dura por uns 3 segundos, sendo seguindo pelo pensamento de “Ninguém se importa e você é horrível pra escrever e pra pensar e pra existir”. Hue.
    6. Me exercitar. A princípio, eu ia escrever “me exercitar mais“, mas no final de 2016 eu tava me exercitando era nada, então, pois é, temos isso. Eu realmente gosto de artes marciais e danças, então começar alguma aula na Holanda me parece uma boa ideia.
    7. Ser mais social. Socializar suga todas. as. minhas. energias, mas eu preciso ser mais social para conhecer pessoas legais na cidade pra onde eu tô indo. E pra ter histórias legais pra postar aqui.
    8. NÃO ABANDONAR O BLOG. Oi. Eu sou a Sofia. Eu escrevo para/tenho blogs há 10 anos, mas eu nunca fiquei quieta. Se eu não tivesse abandonado todos os blogs da vida que eu já comecei, eu provavelmente seria uma blogayra super famosa/bem sucedida/rykah – e você não estaria lendo sobre quão horrível o meu 2016 foi.
    9. Comer. Direito. Para melhorar meu humor, pra melhorar a pele, pro meu estômago doer menos e pro meu cabelo cair menos também porque eu tô morrendo de medo de ficar careca aos 21 anos de idade. Ou, então, se não for pra comer direito, pelo menos lembrar de tomar as vitaminas.
    10. Trancar um semestre na faculdade. Todo mundo na UFMG tem direito a trancar 1 semestre “sem justificativas” e eu tô é doida que eu não vou usufruir desse direito. Eu quero muito fazer isso, mas também tô morrendo de medo de ficar pra trás etc. Apesar disso, tô matutando umas ideias e pensando em trancar logo após o meu intercâmbio, e ir pra algum lugar no Oriente.
    11. DINHEIRO. Encontrar alguma forma de ganhar dinheiro sem estar presa num escritório e sem ficar nervousar atrás do próximo cliente. O @levelsio sempre me dá mil ideias sobre o assunto mas, até então, eu tô meio perdida. São muitas possibilidades.
    12. DIZER SIM PARA NOVAS AVENTURAS

    ISSO É TUDO, PESSOAL. Não são resoluções bem específicas, mas para alguém saindo de uma caverna/lugar escuro/buraco/seilá, elas parecem um bom começo. ¯\_(ツ)_/¯

    Agora me conta pra eu não me sentir foreveralone. Como foi o seu 2016? Quais são as suas resoluções para o ano novo? Como você as definiu? Você pode compartilhar seus sentimentos/pensamentos comigo por meio dos comentários aqui embaixo ou mandando um tweet pra @sofiachangx.

    Espero que você tenha um ótimo 2017 🙂

    -x